Pergunte ao fisioterapeuta

Mensagem de Rafael Silqueira Mendes, rafasilqueiramendes@bol.com.br.
Dados da pessoa:
Clube/Academia: BH (Belo Horizonte - MG)
Idade: 26 - Peso: 69 - Altura: 1.83 - Sexo: masculino
Sou fisioterapeuta e recebi um pct no inicio da semana com o seguinte quadro. Dor no punho e ombro direito. Pct com dor há mais ou menos 3 meses, relata dor aos movimentos, perda de força da mão, sua dor é intermitente na mão, relata formigação na mão, dedos direito, apresenta edema local no punho, dor a palpação do punho e ombro. No ombro relata dor ao levantar o braço em ABD, não teve perda de função do ombro, sua dor durante o movimento do ombro é ao final do movimento antes do 180 de ABD, flexão no final do movimento, dor em RI final. Voltando ao punho dor no inicio do movimento desvio radial e no desvio ulnar a dor exarceba na região dos tendões parte radial, apresentou perda de força de apreesão e formigamento. Movimento ativos de flexão nao doeram tanto qto os de desvios. Relata dificuldade para trabalhar, é professor para escrever no quadro, e ainda trabalha usando o PC, relatou ainda ter que mudar a posição do mouse para acima dos 90 graus do antebraço, teve que colocar ao lado do monitor, para ter alivio. Ao US de punho: Face dorsal tunel 1: tendões abdutor longo e extensor curto do polegar de calibre, contronos e textura normais, com liquido distendendo a bainha sinovial, visualizamos apenas 01 adbutor em cada punho. Tunel2: tendões extensor radial longo e curto, de configuração anatômica em sua topografia, adjacente a borda msucular dos tendões do 1o túnel. Tunel 3: tendão extensor longo do polegar visualizado ao nível do tubérculo de lister, sem alteração ecog´raficas. Tunel 4: tendões extensores comuns dos dedos e próprio do indicador sem sinais de edema. TUnel 5: tendão extensor próprio do 5o dedo de aspecto normal, visivel em topografico ulnar do 4o túnel. Tunel 6: tendao extensor ulnar do carpo de aspecto antomico, em sua topografia anerior ao processo estilóide da cúbito. Face ventral: estudamos o túnel do carpo na topografia entre os ossos trapézio e ganhoso e não evidenciamos alterações ecografica em seus componentes (nervo mediano, flexores superficiais, profundos e flexor longo do ploegar, notando-se o retináculo transverso sem sinais de abaulamento. Um pouco mais lateral. Vemos o flexor radial do carpo, sem alterações ecograficas. O nervo mediano mede cerca de 8,0 mm2 de área transversa ( VN: até 12,cmm2) Conclusão: sinovite do primeiro compartimento demais áreas normais. Vou ficar devendo aqui o US do ombro, o paciente não me apresentou, mas segundo pct ele tb fez US de ombro, e que apresentou bursite do ombro direito e sinovite do punho. Amanha é a 3 a sessão desse paciente, iniciei com tens no punho e no ombro, o que vc me sugeria mais? posso orientar usar compressas quentes no punho e ombro no proposito de promover circulação local?

Resposta de Bruno Berselli

bom dia, bem sugiro a vc uma melhor averiguação do caso, veja se este seu paciente apresenta a glicemia alta, e como esta o TSH, o formigamento é um fator existente apenas em compressões neurais que pode estar tanto no trajeto do nervo como em sua origem na cervical. A questão é existe inflamação?se sim acho que o gelo é um melhor anti inflamatorio que a as compressas quentes. Existe uma isquemia? neste caso o bgelo ja não passa a ser a melhor opção. Vale lembrar que bursite não causa formigamento e que seria interessante vc averiguar como esta o musculo subescapular e o supra espinhoso. Use testes ortopédicos basicos como de jobe ou o lift test. Não acho interessante o uso do TENS neste caso uma vez que a dor é causada em movimento, aconselho fazer mobilizações articulares e ultrasom ou laser.

« VOLTAR